14
Jun 12
14
Jun 12

Reforma sobe dos 62 para os 65 anos na Letónia

O parlamento da Letónia decidiu esta quinta-feira aumentar a idade da reforma dos 62 para os 65 anos entre 2014-2025 para tentar conservar o sistema de pensões, enquanto a população do país não cessa de diminuir e envelhecer.

 

Os reformados representam actualmente cerca de um quarto da população deste país, que conta com dois milhões de pessoas.

O diploma mereceu 49 votos a favor, 39 contra e uma abstenção, segundo a agência BNS.

Um longo debate público precedeu a votação do texto legal, num momento em que a Letónia enfrenta uma severa austeridade após ter atravessado a pior recessão da sua história.

A Letónia viu o Produto Interno Bruto (PIB) contrair-se um quarto em 2008 e 2009.

A população diminuiu 13 por cento entre 2000 e 2011, devido, principalmente, à emigração em massa após a adesão do país à União Europeia em 2004, enquanto a taxa de fecundidade permanece uma das mais baixas entre os Estados-membros.

A população da Letónia baixou para 2,06 milhões de pessoas, o que representa menos 300 mil em relação a 2000.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/


publicado por adm às 23:09 | comentar | favorito
13
Jun 12
13
Jun 12

Alemanha critica descida da idade da reforma em França

Ministro das Finanças alemão diz que medida levada a cabo por François Hollande vai contra o que tem sido feito na Europa.

"Temos adaptado na Europa os nossos sistemas de Segurança Social à evolução demográfica. Os nossos países estão a envelhecer. Mas a decisão do presidente Hollande, de baixar a idade da reforma, vai contra esse sentido", disse Wolfgang Schaeuble durante uma entrevista a um diário italiano, citada na agência Reuters.

O presidente francês decidiu no início do mês restabelecer a reforma aos 60 anos no país, em vez dos 62 anos que estavam em vigor, para os trabalhadores com 41 anos de descontos. Foi uma das promessas eleitorais de Hollande, que derrotou Sarkozy nas presidenciais.

Durante a mesma entrevista, Schaeuble mostrou-se confiante no caminho seguido tanto por Espanha como por Itália. "Se Itália continuar a percorrer o caminho de Monti não haverá risco" de necessitar de um resgate, disse o ministro alemão ao La Stampa. "Espanha está também no caminho certo e não precisa de um resgate. Tem um problema específico no sector bancário e estou certo que será resolvido", acrescentou.

fonte:http://economico.sapo.pt

publicado por adm às 23:52 | comentar | favorito
tags:
12
Jun 12
12
Jun 12

Reformas vão ter cortes de 25%

Cortes de 20 a 25 por cento nas pensões. Quem o defende é a OCDE, no seu relatório de ontem, apresentando as reduções nas reformas como uma tendência inevitável para os seus 34 membros, em que se inclui Portugal.

 

Em conta estão, entre outros factores, o aumento da esperança média de vida, indicador crucial no cálculo da sustentabilidade da Segurança Social. Mais: quem entra hoje no mundo do trabalho só vai receber uma pensão correspondente a metade do salário quando atingir a idade da reforma.

No relatório, a OCDE recomenda ainda o aumento da idade da reforma dos actuais 65 anos para 67 e 69 anos, o que tem sido recusado pelo Governo, que prefere criar tectos máximos no valor das pensões. Fonte do Ministério da Segurança Social afirma ao CM que "o Governo já afastou em diversas ocasiões qualquer cenário de aumento da idade da reforma".

Os estudos em Portugal vão assim para o plafonamento das pensões, com um limite máximo para o que vão receber os futuros reformados. Oficialmente, o Ministério da Segurança Social prefere não comentar a medida proposta pela OCDE de criação de planos de pensões privados para garantir a sustentabilidade do sistema público, ainda que o ministro Pedro Mota Soares já tenha dito que é uma questão que merece ser estudada.

O economista e sindicalista Eugénio Rosa afirma ao CM que o problema é o desemprego e não o aumento da idade de reforma.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/


publicado por adm às 23:15 | comentar | favorito
06
Jun 12
06
Jun 12

França baixa idade mínima da reforma para 60 anos

O novo Governo francês aprovou esta quarta-feira o regresso da idade da reforma para os 60 anos, para trabalhadores com pelo menos 41 anos de serviço. A mudança faz baixar em dois anos a idade mínima da reforma em França. 

O anúncio foi feiro pela ministra dos Assuntos Sociais após o conselho de ministros, avança a AFP.

A reforma aos 60 vai abranger 110 mil pessoas em 2013, com um custo estimado de 1,1 mil milhões de euros nesse ano e de até três mil milhões em 2017, ano em que termina o mandato do presidente, François Hollande, indicou a ministra Marisol Touraine.

Os trabalhadores abrangidos serão aqueles que começaram a trabalhar aos 18 e 19 anos e tenham descontado sempre para a segurança social.

Segundo a ministra, a decisão do governo é «uma medida de justiça para aqueles que foram mais duramente penalizados com a reforma de 2010», que elevou a idade de reforma em França para aos 62 anos.

A nova medida prevê que as mulheres trabalhadoras possam incluir dois trimestres por maternidade no cálculo da reforma e que os trabalhadores que tenham estado desempregados também possam acrescentar dois trimestres aos anos de descontos.

Touraine disse que a medida vai entrar em vigor em novembro.

A reforma das pensões de 2010, do governo conservador de Nicolas Sarkozy, elevou a idade da reforma dos 60 para os 62 para os trabalhadores com 41 anos de descontos e dos 65 para os 67 para os restantes.

fonte:http://www.agenciafinanceira.iol.pt/

publicado por adm às 23:06 | comentar | favorito
tags: