Associação de pensionistas fala em 110 mil afectados por redução das pensões

A Presidente da Associação dos Pensionistas e Reformados considera que reduzir as pensões não pode ser uma medida de reforma estrutural e diz que são 110 mil as pessoas que serão afectadas por esta medida. 

Maria do Rosário Gama afirma que o Executivo quer tornar definitivos os cortes decididos esta quinta-feira em Conselho de Ministros, com o alargamento da Contribuição Extraordinária de Solidariedade. 

“É bom que se saiba que este valor que é retirado às pensões é taxado pelo IRS, os pensionistas pagam IRS sobre dinheiro que não recebem, por isso aumenta ainda mais este saque àquilo que são as pensões dos reformados, aposentados e pensionistas”, lamenta Maria do Rosário Gama. 

“Isto vai afectar um número muito grande de famílias, penso que na ordem dos 110 mil aposentados e as respectivas famílias, e se a situação já era grave torna-se ainda mais. A este valor da contribuição extraordinária podemos ainda acrescentar, para os aposentados da função pública, a taxa da ADSE, que é exorbitante, vai duplicar face ao que era o ano passado.” 

Ao alargar a Contribuição Extraordinária de Solidariedade às pensões a partir de mil euros a medida vai afectar mais quase 80 mil pensionistas, segundo o Governo, um número inferior ao avançado por Maria do Rosário Gama. 

As pensões a partir dos 1.000 euros, independentemente da natureza da entidade pagadora, vão passar a pagar a Contribuição Extraordinária de Solidariedade (CES). Até agora, a CES era aplicada às reformas iguais ou superiores a 1.350 euros.

fonte:http://rr.sapo.pt/i

publicado por adm às 22:44 | comentar | favorito