Reformados ficam sem 39,5 milhões

A evolução das ferramentas informáticas é o principal motivo para o aumento do valor das penhoras entre os reformados e pensionistas, este ano, de acordo com a Câmara dos Solicitadores. No caso destas penhoras, "há dados que se conseguem medir, uma vez que as penhoras só são feitas junto de duas entidades - Caixa Geral de Aposentações ou Segurança Social -, mas as penhoras feitas a salários deverão pelo menos três vezes superiores", comentou José Carlos Resende, presidente daquela entidade.

Só este ano, aos reformados, foram penhorados 39,5 milhões de euros - o que dá uma média diária a rondar os 125 mil euros -, o que representa um aumento de 17% face ao ano passado. Até ao final do ano, o ritmo de evolução destas penhoras a reformados que, muitas vezes, são chamados a assumir a fiança que deram aos filhos ou netos, para a compra de casa ou automóvel, poderá "abrandar, com a possibilidade recente [desde setembro] de penhora direta das contas bancárias, o que poderá evitar a penhora da pensão". Em meados de novembro, segundo o responsável, já tinham sido penhorados três milhões de euros em contas bancárias.

A pressão para aliviar os tribunais das ações executivas, uma condição incluída no memorando com a 'troika', abriu novas possibilidades aos agentes de execução que vieram aumentar o número de penhoras em 2013. "Muitas execuções eram feitas por carta ou fax e, só para ter uma  ideia, uma carta à Segurança Social podia demorar dois anos a ser respondida", explica José Carlos Resende. "Agora, desde janeiro que podemos fazer buscas sistematizadas e isso levou a um aumento da resolução dos processos", resumiu.

fonte:http://www.dinheirovivo.pt/

publicado por adm às 20:20 | comentar | favorito