Idade da reforma sem penalizações sobe para os 66 anos

Governo vai também proceder a alterações à idade legal mínima de acesso à situação de reserva nas Forças Armadas, Guarda Nacional Republicana e na Polícia de Segurança Pública. Conheça os detalhes e saiba o que muda.

A idade de reforma sem qualquer tipo de penalização vai aumentar para os 66 anos, anunciou esta sexta-feira o primeiro-ministro numa declaração ao país. Passos Coelho explicou que as pessoas podem continuar a reformar-se aos 65 anos, como acontece actualmente, mas vão sofrer uma penalização se o fizerem, resultante de uma alteração no chamado "factor de sustentabilidade".

Este factor expressa a relação entre a esperança média de vida de um contribuinte com 65 anos em 2006 com a que foi obtida no ano imediatamente anterior ao do início da pensão. Foi a alteração do cálculo desta fórmula que o primeiro-ministro anunciou esta sexta-feira. Para evitar a penalização, os beneficiários da segurança social podem optar por ficar mais tempo ao serviço, fazer mais descontos ou reforçar os descontos para regimes complementares.

As medidas de austeridade no plano das pensões de reforma também vão atingir os elementos das forças armadas e das forças de segurança. Pedro Passos Coelho anunciou "a alteração da idade legal mínima de acesso à situação de reserva, pré-aposentação e disponibilidade, que precede a reforma nas Forças Armadas, na Guarda Nacional Republicana e na Polícia de Segurança Pública para os 58 anos de idade".

O primeiro-ministro anunciou também esta sexta-feira a intenção de criar uma nova contribuição sobre as pensões, "salvaguardando" as reformas mais baixas.

fonte:http://rr.sapo.pt/

publicado por adm às 22:02 | comentar | favorito