Maioria das reformas cortadas ultrapassa pensão média

Ministro da Segurança Social garantiu que a esmagadora maioria das 15 mil pensões que foram cortadas superavam a pensão média.

Tal como o Diário Económico noticiou hoje, cerca de 94% dos notificados recebiam pensões acima do valor médio (421 euros) e 20% tinham reformas acima de mil euros, garantiu Mota Soares, salientando que havia casos de pessoas a receber 5.500 e 4.300 euros.

Em causa estão pessoas que recebiam uma pensão abaixo do valor mínimo (254 euros) e, por isso, ainda tinham direito a um complemento de pensão. No entanto, também recebiam pensões pagas por outros regimes (como Caixa Geral de Aposentações ou regimes estrangeiros) apesar de não terem informado a Segurança Social desse facto.

Mota Soares recordou que esta lei existe desde 2007 e que logo nesse ano foram noificadas 24 mil pessoas. O ministro salientou que "os pensionistas têm a obrigação de declarar outras pensões que recebem" e explicou que estes casos foram detectados através do cruzamento de dados.

Mota Soares falava na comissão parlamentar do Trabalho e Segurança Social, no âmbito de um requerimento apresentado pelo BE e PCP. Mariana Aiveca, do BE, considera que os cortes são ilegais enquanto Jorge Machado, do PCP, realçou que estas pessoas receberam as prestações "de boa fé". De acordo com os exemplos do BE, os cortes abrangeram pensões de 389 euros, que foram reduzidas em 80 euros.

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 22:22 | comentar | favorito