Bancários com dois subsídios

Cerca de 27 mil reformados da Banca que viram no ano passado o fundo de pensões transferido para a alçada da Segurança Social não vão sofrer as medidas de austeridade a que os restantes pensionistas e reformados do regime geral estão sujeitos em 2013, revela o ‘Jornal de Negócios’. Segundo o jornal económico, o Governo decidiu manter o compromisso que tinha assumido com a Banca de não cortar o subsídio de férias nem de Natal. Este fundo de pensões permitiu um encaixe de seis mil milhões de euros aos cofres públicos, essencial para cumprir as metas do défice acordadas com a troika.


Além dos bancários, ficam ainda salvaguardadas as "prestações indemnizatórias atribuídas aos deficientes militares", segundo a proposta negocial enviada pelo Governo aos sindicatos da Função Pública. O Governo ainda não esclareceu, contudo, se irá aplicar a estes reformados um corte progressivo entre 3,5 e 10% a partir dos 1500 euros brutos, como aos pensionistas, sendo necessário aguardar pela proposta do Orçamento do Estado para 2013.

fonte:http://www.cmjornal.xl.pt/

publicado por adm às 23:35 | comentar | favorito