Pensões antecipadas cai pela primeira vez desde 2010

O acesso a reformas antecipadas está parcialmente suspenso desde Abril, mas o número de beneficiários aumentou sempre até Junho.

Em Julho, havia menos 358 pessoas a receber reforma antecipada, face ao mês anterior. A quebra é ligeira (0,2%) mas, ainda assim, é preciso recuar a Setembro de 2010 para encontrar outra descida. A Segurança Social não justifica esta evolução mas em causa poderá estar a suspensão das reformas antecipadas.

Recorde-se que, a 6 de Abril, os trabalhadores do sector privado deixaram de poder passar à reforma antecipada; esta via manteve-se aberta apenas para desempregados de longa duração e funcionários públicos (mas neste último caso, a responsabilidade é da Caixa Geral de Aposentações).

Apesar de o Governo ter proibido parcialmente as novas reformas antecipadas a partir de Abril (com o intuito de conter as despesas do Estado), o número de beneficiários continuou a aumentar nos meses seguintes, até porque a Segurança Social ainda deu luz verde a pedidos que tinham entrado antes da suspensão. Tal como o Diário Económico noticiou, entre Abril e Junho foram pagas 11.772 novas pensões antecipadas, e a maioria (7.212) não tinha a ver com o regime de desemprego. A Segurança Social garantiu na altura que esse número dizia respeito a pedidos entrados até 5 de Abril.

De acordo com os dados recentemente publicados, em Julho existiam 176.738 pensionistas com reforma antecipada. Julho marca então a primeira descida mensal em 22 meses mas falta saber se as próximas estatísticas vão confirmar alguma tendência e aferir o real impacto da suspensão do regime. Uma vez que os desempregados de longa duração ainda podem aceder a esta prestação, isto afectará sempre os próximos dados. Além disso, o Governo está a equacionar algumas excepções à suspensão, nomeadamente no caso de empresas públicas de transporte. 

fonte:http://economico.sapo.pt/

publicado por adm às 22:24 | comentar | favorito